Implante Contraceptivo

Este anticoncepcional já está disponível no mercado há vários anos, porém ainda é pouco utilizado em comparação com outros métodos.

Seu funcionamento é simples: através de um aplicador, é inserido em baixo da pele do braço uma pequena haste flexível de 4cm de comprimento por 2 milímetros de espessura. Esse material libera uma pequena quantidade de um anticoncepcional chamado Etonogestrel, que vai direto para a corrente sanguínea sem precisar passar pelo estômago ou fígado, o que reduz possíveis efeitos como náuseas.

Sua colocação requer uma anestesia na pele e pode ser feita no consultório médico, porém mesmo assim é mais simples do que outros métodos de longo prazo como os dispositivos intra uterinos (DIUs), que exigem um exame ginecológico e algumas vezes sedação em centro cirúrgico. Da mesma forma sua retirada pode ser feita apenas com anestesia local em consultório.

A duração é de três anos e durante esse período é esperado que a paciente não menstrue ou menstrue menos do que normalmente menstrua. Assim como acontece com todos os métodos anticoncepcionais, cada pessoa responde de um jeito e só testando para saber como será o padrão menstrual, assim como possíveis efeitos indesejados, que são os mesmos de qualquer método hormonal.

Muito á tona na mídia, o risco de trombose é algo que preocupa médicos e pacientes, e nesse sentido o Implante de Etonogestrel é um ótimo método, pois é mais seguro que a maioria dos comprimidos disponíveis no mercado. Porém é muito importante conversar com um ginecologista para garantir que a paciente não tem nenhuma contraindicação antes de utilizar o método.

Apesar dos grandes avanços em tecnologia para criação de métodos anticoncepcionais cada vez mais eficazes e com menos efeitos adversos, poucos pacientes conhecem os métodos diferentes daqueles mais tradicionais como comprimidos e injeções. Uma opção muito interessante é o Implante Subdérmico de Etonogestrel.

2020-06-22T15:46:31+00:00